Livro: “O Showman — os bastidores da guerra que abalou o mundo e forjou a liderança de Volodymyr Zelensky”

Thiago Pinheiro
2 min readMar 17, 2024

O livro foi lançado pela Editora Record, em fev/2024. O autor é o jornalista da Time Magazine, Simon Shuster.

Acabei de ler o bom “O Showman”, livro do russo Simon Shuster (@shustry) e que foi lançado agora, em fevereiro de 2024. Jornalista da Time, cobre a invasão da Russia desde 2014. São 400 páginas, mas a leitura é bem rápida. Comecei na quarta e terminei hoje.

O livro é interessante sobre vários aspectos, mas o principal é entender as muitas mudanças de Zelensky.

- Quando ele passa de um comediante e produtor milionário de muito sucesso na Rússia e passa a se apresentar para os soldados no sul invadido na Ucrânia, rompendo de corpo, alma e bolso com o país de Putin

- A decisão de entrar para a política

- E quando deixa de ser o presidente vulnerável e passa a ser o presidente confiante e que ostenta um “ar de invencibilidade”.

E o jornalista consegue entrelaçá-los bem, graças às muitas entrevistas realizadas em anos de cobertura.

Há muitas discussões interessantes, como a ascensão meteórica e os conflitos com o general Zaluzhny, bastidores de muitos discursos e encontros. Importante também é entender, do ponto de vista da Ucrânia, o desenrolar da guerra que iniciou em 2014 e muitos dos acordos de cessar-fogo — sempre rasgados pela Russia.

Pelo livro, Shuster aponta os perigos e falhas de Zelensky, como a paranoia excessiva e o temor que o poder excessivo possa cegá-lo ao acabar a guerra. Mas, sobretudo, o livro (e Zelensky) falam sobre a guerra, como aqui:

“guerras são travadas na mente de homens e mulheres muito antes de o tiroteio começar, e Zelensky, o showman que virou presidente, operava sob tal premissa. Ele conhecia o poder e o perigo da persuasão, e sabia que muito antes de os tanques russos cruzarem as fronteiras da Ucrânia, o Kremlin tinha travado sua guerra através da propaganda, procurando convencer qualquer um que fala a língua russa de que a Ucrânia não existe, seus líderes são nazistas ressuscitados e disfarçados, servindo aos objetivos escusos do Ocidente contra a Rússia”

Zelensky é um homem dos palcos, cresceu e fez fortuna assim. Ao ter o seu país invadido (novamente), entendeu qual seria o seu papel e entendeu que “suas habilidades de showman eram tão valiosas na guerra quanto a expertise tática de seus generais — embora isso não o impedisse de, mais tarde, começar a se meter nos assuntos militares.

Não é fácil manter uma guerra por 2 anos nas mentes, corações e bolsos do mundo. Zelensky e a Ucrânia estão conseguindo. Por isso, acredita, que irá finalmente conseguir o “ciclo de opressão imperial [russo] iniciado havia várias gerações”.

--

--

Thiago Pinheiro

Jornalista e fugitivo arrependido do curso de Literatura